SIG e os Desastres Naturais

SIG DesastresVocê já foi vítima de alguma catástrofe natural? Enchentes, inundações e tantas outras situações semelhantes tiram todos os anos a a vida de milhares de pessoas. O número de desastres naturais tem aumentado significativamente nas últimas décadas, segundo certas pesquisas. Como Geoprocessamento pode ser aplicado neste nicho? Indicaremos a leitura de um artigo que é referência neste assunto.

GEOPROCESSAMENTO E CATÁSTROFES NATURAIS

Em 2010, o Dr. Luís Baptista publicou um interessante artigo sobre a aplicação dos Sistemas de Informações Geográficas (SIG) em projetos relacionados com desastres naturais. Em sua introdução, ele destaca:

“Os Sistemas de Informação Geográfica, pela multiplicidade de informação que conseguem reunir, são uma ferramenta fundamental na gestão de catástrofes naturais e no apoio aos planos de emergência”.

Os tópicos principais de seu artigo SIG e os Desastres Naturais, publicado na Revista Territórios Digitais são: Análise e Gestão de Catástrofes, Busca e Salvamento e Novas Tecnologias.

O autor explica de forma bastante inteligível que, no processo de gestão de catástrofes, as metodologias mais utilizadas definem normalmente fases distintas subdivididas em diferentes etapas. Entre estas, a primeira fase (prevenção) tem por objetivo focal reduzir os efeitos dos desastres quando estes ocorrerem; já a segunda (preparação) visa criar planos de resposta à crise.

Ciclo de Prevenção de Desastres

Para acessar a página que possibilita fazer o download da versão completa deste artigo, acesse o link a seguir:

Temos assistido ao aumento da ocorrência de grandes catástrofes, maioritariamente naturais. Não deixe de entender melhor como as Geotecnologias podem ajudar neste contexto, lendo as seguintes matérias:

Compartilhe nas redes sociais

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
Anderson Medeiros

Anderson Medeiros

Graduado em Geoprocessamento pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB). É o autor do site https://clickgeo.com.br que publica regularmente, desde 2008, artigos dicas e tutoriais sobre Geotecnologias, suas ferramentas e aplicações.
Em 2017 foi reconhecido como o Profissional do ano no setor de Geotecnologias. Atua na área de Geoprocessamento desde 2005.

Artigos relacionados

2 thoughts on “SIG e os Desastres Naturais

  1. Vinicius Cardozo disse:

    Olá gostaria de ter acesso a este artigo, pode ser muito importante para o meu TG de Tecnologia em geoprocessamento, estou escrevendo sobre desastre de Mariana MG, mas não consigo ter acesso a este artigo para referência. É possível me enviar uma cópia?

  2. Abimael Paca disse:

    preciso fazer uma mapa de vulnerabilidade ambiental para isso na metodologia q estou a usar criei um mapa de densidade populacional e depois tbm criei um mapa de vegetcao utilizando o NDVI e reclassifiquei o mesmo em 4 classes de acordo a metodologia q estou a usar mas para isso tbm preciso de criar um mapa de solos ou geologicos em q preciso dar pesos as formacoes encontraddas e ai reside a minha dificuldae preciso de um tutorial dw como fazer este mapa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pesquisar
Inscreva-se
Receba nossa Newsletter por E-mail

Cadastre-se Gratuitamente em nossa Lista VIP e receba nossas novidades por e-mail. Siga nosso Instagram @clickgeo.cursos e nosso Canal no Youtube para continuar atualizado sobre o Mundo do Geoprocessamento e Produção de Mapas!

Sobre Anderson Medeiros

Ele já foi reconhecido como o Profissional do Ano no Brasil no setor de Geotecnologias. Graduado em Geoprocessamento, trabalha com Geotecnologias desde 2005. Já ministrou dezenas de cursos de Geoprocessamento com Softwares Livres em diversas cidades, além de outros treinamentos na modalidade EaD. Desde 2008 publica conteúdo sobre Geoinformação e suas tecnologias como QGIS, PostGIS, gvSIG, i3Geo, entre outras.

Temas
Temas:
Arquivos
Arquivos: